‘O trabalho está matando as pessoas e ninguém se importa’.

June 21, 2019

 

Essa frase foi dita por um professor de Stanford, Jeffrey Pfeffer, que alerta que ambientes tóxicos de trabalho são tão perigosos para a saúde quanto o fumo passivo.

 

Muitas das condições vividas na profissão, induzem ao estresse e já sabemos que o estresse torna as pessoas muito doentes diretamente. Temos negligenciado questões tão importantes e a cada dia, nos distanciamos de nossa essência humana, de forma que isso nos afeta de forma tão silenciosa e contínua que mal nos damos conta.

 

Será que as organizações entendem que a motivação financeira não é mais um quesito determinante e único para as pessoas? Eu diria que o mundo mudou e as pessoas, embora tentem acompanhar à todo custo essas mudanças, continuam sendo seres humanos com sentimentos e necessidades. Ignorar nossa natureza humana, não nos torna não humanos, apenas camufla necessidades e sentimentos que mais cedo ou mais tarde virão à tona. E causando muitos prejuízos, acredite.

 

Mudar isso, é uma tarefa fácil? Claro que não. Sabe qual o primeiro grande obstáculo que eu enfrento quando vou trabalhar comunicação interna positiva nas empresas?

 

Uma boa parte das empresas ainda não possui consciência da responsabilidade e do seu papel na mudança desses cenários, mesmo que reconheçam que o problema exista, ainda não enxergam como sendo sua atribuição, cuidar da saúde e bem estar dos colaboradores.

 

Estamos presenciando uma inversão de prioridades desenvolvida nas últimas décadas, que prioriza os acionistas em detrimento do ambiente interno, desviando-se do que dizia-se nos anos 50 e 60, quando se achava importante equacionar, por igual, os interesses de todos: colaboradores, clientes e acionistas. Em seu livro mais recente, Jeffrey apontou o estresse do ambiente de trabalho como a 5ª causa de mortes nos EUA e, quando perguntado sobre essa afirmação, ele a sustenta e responsabiliza o ambiente de trabalho em que essas pessoas estão submetidas.

 

Negligenciar isso é um erro?

Sem dúvida alguma! Isso constitui um grande erro, além de todos os danos físicos e mentais, sabemos que um colaborador que desenvolve problemas de saúde, produz menos, além de ser uma das maiores causas dos pedidos de demissão.

Importante mencionarmos que para diminuir esses efeitos, todos temos responsabilidade.

 

Não somos capazes de fazer muito, atuando apenas em um nível individual. Importante resolver isso de maneira sistêmica.

 

Quando alguém me procura para realizar uma capacitação imersiva para gerar comunicação interna mais positiva, sempre menciono sobre a CCCP - Consciência Coletiva de Comunicação Positiva, que é a geração de consciência e reforço da necessidade da humanização das relações de trabalho em todos os níveis hierárquicos de uma empresa. Não adianta trabalhar isso em uma só pessoa, todos, principalmente os líderes e executivos precisam rever sua forma de agir e considerar necessidades básicas no ambiente de trabalho.

 

Eu abordo comportamentos muitos básicos, relacionados à expor claramente sentimentos e necessidades individuais, pois o objetivo é recuperar a essência humana nas pessoas, despertá-las para olharem mais pra si mesmas e para o outros e a entenderem o que precisam fazer para criar um ambiente de trabalho mais sadio e ao mesmo tempo, produtivo.

 

 

 

Eu sei que isso assusta muitas empresas, mas podem ficar tranquilos. Gerar essa mudança não é uma responsabilidade total da empresa. Ela só precisa dar o primeiro passo, buscando e se informando sobre as alternativas para começar as mudanças. Você ficaria impressionado com o potencial das pessoas e do quanto elas querem fazer parte de uma mudança. De novo, para gerar uma mudança, temos que contar com alteração de comportamentos de todos, por isso, em nossas capacitações imersivas in company, trabalhamos apenas com equipes inteiras.

 

"Ah, Day Louise, vou deixar as coisas assim mesmo. Sei que o problema existe e um dia eu resolvo."

 

A escolha é, de fato, sua. Vou apenas fazer uma pequena analogia aqui.

 

Eu diria que isso é semelhante à deixar à louça para lavar no dia seguinte:

  • A louça não vai desaparecer. Você não vai deixar de ter louça pra lavar em algum momento.

  • Será ainda mais difícil de limpar essa louça, pois toda "sujeira" tende a se impregnar com o tempo.

Ignorar isso não vai fazer com que o problema deixe de existir e progredir. Então, por que não começar hoje mesmo? Ao contrário do professor Jeffrey, EU ACREDITO que muitas pessoas se importam sim e tenho conhecido várias desde que iniciei essa jornada.

 

Você é uma dessas pessoas?

 

 

 

 

 

Day Louise é Administradora e Especialista em Comunicação Interna Positiva e Inovação. Fundou a Day Louise - Creative Training para estimular a comunicação interna positiva e a potencializar criatividade dos colaboradores nas empresas. Compreende da ansiedade de gestores em obter uma equipe mais produtiva e também do anseio de colaboradores em ter seu potencial criativo valorizado em um ambiente de comunicação sadia. www.daylouise.com.br 

Share on Facebook
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

Contato

 e-mail: day@daylouise.com.br  

Tel: 55 (48) 9 9656-6165

Rod. José Carlos Daux, 01 - João Paulo, 

Florianópolis | Santa Catarina | Brasil

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook ícone social
  • Instagram